Saiba de nossas notícias em primeira mão.

Grupo solicita que empresas de tecnologia não vendam reconhecimento facial ao governo

85 associações tentam impedir o rastreamento de imigrantes, minorias religiosas e etnicas

15/01/2019  às  15:58:57
Grupo solicita que empresas de tecnologia não vendam reconhecimento facial ao governo

A União Americana pelas Liberdades Civis (ACLU) solicitou que empresas como Microsoft, Amazon e Google se comprometam a não vender tecnologias de reconhecimento facial ao Governo dos Estados Unidos. O grupo, de 85 associações e grupos ativistas, enviou cartas às empresas para esclarecer que fornecer software de reconhecimento facial aos EUA ameaça a segurança de membros da comunidade e também poderá minas a confiança nos negócios.

A diretora da união, Nicole Ozer, afirmou que a comunidade se encontra numa encruzilhada com a vigilância facial e que as decisões tomadas por estas empresas, que dominam o mercado da tecnologia e inteligência artificial, determinarão se a próxima geração temerá ou não a vigilância por parte do Governo.

Nas cartas aos principais responsáveis das empresas, a união destaca que o reconhecimento facial pode permitir ao Governo que determine imigrantes, minorias religiosas e "gente de cor”, evidenciando “preconceitos históricos e atuais”.

 O Google já anunciou que não venderá softwares deste gênero até que os riscos sejam todos determinados, algo que também foi destacado pelo presidente da Microsoft, Brad Smith.

Por outro lado, a Amazon insistiu em vender a tecnologia ao Governo apesar dos avisos de distintas autoridades, prossegue o comunicado, e embora seu principal executivo, Jeff Bezos, tenha reconhecido que seus produtos possam ser mal utilizados.

A coalizão liderada pela ACLU inclui associações como a União pelas Liberdades Civis de Nova York, diversas associações em defesa dos direitos dos muçulmanos e a Human Rights Watch.

Poste em sua rede social